Moagens do Café + Curiosidades

Chegamos a última parte dos posts especiais sobre café, falamos um pouco sobre a qualidade do café vendido, diferença dos grãos e torra, métodos mais comuns de extração e hoje veremos qual a moagem ideal para cada cafeteira e como esse detalhe pode influenciar muito no sabor final da bebida.

De maneira geral um grão de café moído mais grosso faz a água quente passar mais rápido, resultando num sabor “fraco”, assim como um pó muito fino faz a água passar bem devagar deixando seu sabor bem mais intenso. Isso vemos bem no método filtrado, que se beneficia mais com a moagem fina, mais comumente vendida nos supermercados e cafés de tipo Tradicional e Superior.

Esse infográfico do site I Love Coffee JP mostra bem qual o melhor tipo de moagem para os métodos mais comuns de extração. Vou traduzir para vocês!

  • Moagem bem grossa – Prensa francesa
  • Moagem grossa – Chemex
  • Moagem média – Moka (info abaixo)
  • Moagem média fina – Filtro comum
  • Moagem fina – Espresso
  • Moagem Extra fina – Café turco

 

Esse segundo infográfico mostra um pouco das mesmas acima, e ainda a moagem do café na moka, que deve ser média grossa (para não entupir o filtro). Quanto mais fino o grão moído, também maior o pó é passado pelo filtro, logo maior a borra e resíduos na xícara!

E como personalizar a moagem do seu café se as opções do mercado já são prontas? A primeira opção é comprar seu próprio moedor (seja manual ou elétrico), hoje em dia tem opções bem pequenas e baratas para termos em casa, e além da vantagem de personalizar a moagem de acordo com o método de extração escolhido ou ao seu gosto pessoal, você garante um café 1000x mais fresco!

O grão de café ao ser moído começa a oxidar muito mais rapidamente, ou seja, perde seus sabores e características naturais com o tempo. Ao comprar o café em grãos, você garante uma bebida muito mais aromática e fresca na sua casa, quer coisa mais gostosa?

Mas caso ainda não esteja pronta para esse investimento, você pode começar a comprar o café recém moído na sua cafeteria preferida, você vai ver a diferença que dá!


Mais informações sobre seu café!

  • NUNCA armazene seu café (grão ou em pó) na geladeira, ele vai absorver a umidade e perder seus aromas e sabores naturais.
  • Para um café fresco, perfumado e saboroso, moa os grãos apenas antes da infusão.
  • Nunca use água fervente para fazer seu café, se não você só irá extrair o amargor e acidez do pó. Aguarde um minutinho após ferver para fazer a infusão.
  • Acerte a proporção pó e água, a média é de 4-5 colheres de sopa para cada litro de água.
  • Use a moagem certa para cada método de extração.
  • Café de sabor forte não significa um café com mais cafeína! A cafeína é extraída em água quente, ou seja quanto mais água quente passa pelo pó/grão, mais cafeína sua bebida terá!
  • O Brasil é o maior produtor de café do mundo
  • O café é a segunda bebida mais consumida NO MUNDO, perdendo apenas para a água!

 

Seja parte dessa terceira onda de consumidores de café, que são pessoas que buscam saber a proveniência do grão consumido. Busque qualidade na sua bebida do dia a dia, use todo esse conhecimento para melhorar ainda mais o grão que você consome, valorize os produtores nacionais que também prezam por essa qualidade! Seja um bebedor de café consciente!

Cafés, Como Extrair?

Gostei muito de conseguir dividir um pouco desse conhecimento sobre cafés com vocês, afinal é um tema que faz parte tanto do nosso dia a dia quanto do universo de festas em casa, como já disse, não há visitinha que dispense uma boa xícara de café ou almoço de respeito que não finalize com ela, né?

Já contei um pouco sobre padrões de qualidade dos cafés (clique aqui para ver) e sobre a diferença dos grãos e torra (clique aqui para ver) e hoje vou mostrar as diferentes formas de extração da bebida, a parte mais divertida de ritual, na minha opinião.

Vou começar com os métodos mais comuns de fazermos em casa, e as principais diferenças entre eles.

Filtrados

Cafés de corpo mais leve pelo método de extração permitir pouco tempo de contato entre a água quente e o pó. Não há nenhuma pressão exercida, então conforme a água é despejada, ela retira os óleos naturais do grão moído, deixando a borra presa no papel.

Exige pouca técnica e permite que quem prepara regule a potência da bebida como preferir, ou seja, mais pó deixa a bebida com sabor mais forte ou o inverso, usando menos pó para um sabor mais leve! Uma média que agrada a maioria é de 4 a 5 colheres de sopa cheias para cada litro de água, mas é legal descobrir seu gosto pessoal! Tem quem goste de mexer um pouco o pó enquanto despeja a água, para que os sabores se misturem bem, há quem ache uma heresia sequer encostar no pó, novamente, vá testando diferentes formas de extração para descobrir o melhor para você!

Além do método tradicional Melita, tem hoje técnicas mais delicadas que permitem melhor infusão do pó e extração de sabor. Tem a Hario V60, usando normalmente o suporte de filtro em vidro ou porcelana e filtro em papel específico ou Chemex onde o filtro especial de papel vai direto no dispenser de vidro.

Para quem busca praticidade, tem as máquinas de café automáticas que fazem todo o trabalho para você, acabei de comprar uma e estou achando bem fácil, apesar de também achar que usa um pouco mais de pó que o comum. A minha tem a base que mantém o café aquecido por duas horas após o preparo, uma maravilha pela manhã!

MODO DE PREPARO:

Coloque pouco mais de um litro de água para ferver, enquanto isso monte o filtro de papel na base desejada. Assim que a água ferver, desligue o fogo. Antes de acrescentar o pó, “lave” o filtro com um pouco de água quente para retirar um pouco o gosto do papel e aquecer a base, descarte essa água.

Acrescente a quantidade de pó desejada ao filtro já lavado sem pressionar, e vá despejando a água pelo pó. Faça o teste em casa mudando diferentes formas de fazer, acrescentando bastante água de uma vez e mexendo o pó, ou colocando a água aos poucos, sem mexer. Compare o resultado final e descubra como prefere!

Deguste quentinho sem moderação! Hehehehe

Prensados

Esse método deixa um café de sabor bem mais intenso que os filtrados, por permitir maior infusão da água com os grãos moídos, a prensa faz o papel do filtro deixando toda a borra de café ao fundo, e o café preparado acima dela.

Conheço dois modelos de prensa, a clássica prensa francesa como vemos na primeira foto, que pode ser de vidro ou porcelana. E esse novo modelo da pressca, invenção de um brasileiro é uma cafeteira portátil, dá para preparar seu café em casa e sair tomando no carro, por exemplo. Faz um café individual ou até para dividir. Pequenininha e prática, já estou apaixonada!

Na minha opinião, esse método é ainda mais fácil que o filtrado, pois permite menor interação, já que há só uma maneira de preparo. Me agrada mais para fazer durante a tarde, quando prefiro uma xícara menor e sabor mais intenso.

MODO DE PREPARO:

Você pode pré aquecer a jarra com um pouco de água quente antes de preparar, mas é opcional. Depois coloque o pó de café e a água quente por cima, mexa com uma colher por alguns segundos (para garantir que todo o pó entre em contato com a água) e tampe. Deixe em infusão por 4, 5 minutos e depois comece a descer a prensa bem devagar, se apresentar alguma resistência, suba um pouco e volte a descer. A prensa deve chegar quase no final, deixando apenas o pó no fundo da jarra. Sirva em seguida!

Por Pressão

Cafés de corpo, aroma e sabor intenso, a pressão elevada faz com que crie-se uma “crema”, ou seja, essa espuminha deliciosa por cima do café! Vemos esse método na Moka (a cafeteira italiana) e no espresso das máquinas profissionais. Ele são diferentes, a Moka tem pressão muito menor que o espresso, mas funciona de maneira parecida, pois conforme a água ferve na parte mais baixa da cafeteira, é criado uma pressão no meio, por onde acontece a infusão, saindo a bebida na parte de cima na Moka. Já no espresso a pressão da água quente vem de cima, passando pelo pó de maneira rápida extraindo um café intenso e perfumado.

MODO DE PREPARO:

Os modos de preparo são bem diferentes como descrevi acima, enquanto na moka a água vai por baixo e o pó no meio (nunca pressionar o pó colocado, para não entupir o filtro), no espresso o pó é sim bem pressionado no cachimbo, pois a força da água que vem da máquina é bem mais forte que qualquer outro método disponível. A quantidade de pó no espresso, por tanto, é bem maior, por isso seu sabor é um dos mais intensos.

Café Turco

Quem já tomou sabe que seu sabor é talvez tão ou mais intenso que o espresso, não há filtros envolvidos, a água e o pó ficam bastante tempo em fusão na chaleira, e o preparo é aquecido até que o pó decante para o fundo. É preciso técnica para sentir o momento certo de servir, e apesar de decantar, parte da borra vai para a xícara, daí a milenar leitura da borra, já viram?

Segundo a cultura, o desenho formado na borra de café residual na xícara diz muito sobre quem tomou a bebida, seu passado, futuro e etc.

Para saber como fazer, clique aqui.


Agora que você já sabe tudo sobre a qualidade do café e tipos de grãos e torra, veremos no próximo post qual a melhor moagem para cada tipo de extração que vimos acima! Sim, além de tudo podemos escolher se precisamos de um pó mais fino ou grosso, e esse detalhe influencia (e muito) na bebida final!

Cafés, Como Escolher? Part. 2

Ontem fiz a primeira parte dos posts especiais de café, vocês acompanharam? Falei sobre as diferentes categorias de cafés, todo cafezinho que tomamos pertencem a uma… Perdeu? Então clique aqui!

Hoje vou falar sobre os grãos. Por que um café 100% Arábica custa mais caro? E os mais baratos, quais grãos são usados? E a torra, faz diferença? Você sabe qual o grão e qual a torra do seu cafezinho do dia a dia? E o da sua cafeteria preferida?

Quantas perguntas, mas as respostas são mais simples (e mais interessantes) do que imaginamos!

Existem dois grãos mais comuns no mercado, o Arábica e o Robusta. O primeiro é o café de melhor qualidade, com sabores muito mais complexos, cítricos, de cultivo mas delicado e com menor teor de cafeína, ou seja, pode tomar mais que tá liberado! Hehehehe

O segundo é um grão muito mais simples e de sabor amargo proeminente, é usado para ser misturado aos grãos de Arábica barateando o produto final. Seu cultivo é muito mais fácil exatamente por ter mais cafeína (a cafeína é um pesticida natural, sabiam?).

A diferença entre um grão Arábica (à esquerda) e um Robusta (à direita) é visível, né?

Não existe no mercado nenhum café 100% Robusta, acredito que seria praticamente intomável pelo seu corpo e amargor, porém algumas marcas usam seu grão no blend (mistura) justamente para acrescentar essas características no produto final, já que nós brasileiros gostamos de cafés de sabor forte.

A imagem acima mostra outra diferença… O Arábica é cultivado apenas em altas altitudes (acima de 600m) e temperaturas mais baixas, e o Robusta segue no contrário, cultivado em baixa altitude (até 700m) e suporta temperaturas mais altas! E o que isso significa? É mais fácil de maneira geral produzir grãos Robusta do que Arábica, tornando-o um produto mais barato!

Os cafés Tradicionais e Superiores usam 20% e 15% de Robusta em seu blend respectivamente, por isso somente são vendidas torras escuras nos cafés desse padrão (além de mascarar grãos Arábica imperfeitos, passados e outras sujidades como disse no post anterior). Cafés de categoria Gourmet e Especial usam apenas grãos 100%Arábica em sua composição.

Falando em torra, estamos tão acostumados com as torras escuras comumente encontradas nos mercados, mas sabemos nossa real preferência antes de provar outros tipos? Para quem só tomou cafés de torra escura até hoje está familiarizado com seu sabor mais “forte”, então provar torras média e clara pode ser um desafio, pois tendem a parecer “café fraco”, sabe? Mas não é nada disso!

Querendo ou não, a torra escura mascara muitos dos sabores de um bom grão de café, então percebemos menos as nuances frutadas e cítricas (por exemplo) cobertas no sabor amargo da torra elevada. Se você está buscando cortar o açúcar do cafezinho do dia a dia, mas acha o amargor difícil de engolir, experimente comprar uma torra média ou clara de um café de boa qualidade, você vai se surpreender!

Ainda estou aprendendo a me acostumar com a torra clara, mas recomendo muito essa experiência de experimentar e conhecer novos sabores de café, é um universo muito interessante para quem gosta do mundo gastronômico, muito parecido com os vinhos!

Café é quase um patrimônio nacional, faz parte na nossa história e vidas, então aventure-se nesse delicioso mundo da cafeína! Tem um mundo além do café tradicional que nós estamos acostumados a tomar e vale muito a pena conhecer mais sobre o assunto!

Amanhã conto um pouco mais sobre minha parte favorita, os diferentes modos de extração, aguardem!!

Cafés, Como Escolher?

Se tem uma bebida que é extremamente social, essa é o café! Receber uma visita, mesmo que inesperada, e não servir essa bebida quente e reconfortante chega a ser quase falta de educação! Como assim você passou a tarde na casa daqueles amigos queridos e saiu sem tomar nem uma xícara de café?

Se antigamente todos tínhamos que saber passar um cafezinho no coador, hoje podemos escolher entre as muitas opções de cafeteiras. Seja na sua máquina de cápsulas, moka, cafeteira elétrica, prensa francesa, Hario ou espresso, saindo um bom cafezinho já estamos felizes!

Mas você sabe escolher um bom café? Esse não é mais um “raio gourmetizador” da vida, apenas boas informações da bebida queridinha do nosso dia a dia, então prestem bem atenção! Sabia que há um selo de qualidade para cada café vendido e há uma boa diferença entre eles? Ao olhar as muitas opções nas gôndolas do supermercado nem sempre o que deve ser priorizado é o preço entre eles, e nesse caso eu diria que o barato pode sair caro!

A ABIC (Associação Brasileira da Industria do Café) criou um padrão de classificação de qualidade dos grãos de café baseado em notas de zero à 10, sendo qualquer coisa abaixo de 4,5 impróprio para consumo!

Café Tradicional – Os mais baratos das gôndolas e também as marcas mais conhecidas por nós. Esses cafés tem grãos irregulares, uma quantidade de sujeiras permitidas como galhos, folhas e até grãos mais passados. Eles são constituídos de gãos arábica*, robusta/conilon* ou blendados e por isso recebem uma torra bem forte para igualar seu sabor.

Café Extraforte – Seguem o mesmo parâmetro dos cafés tradicionais, porém recebem uma torra ainda mais forte, deixando seu sabor mais acentuado e amargo. Não se engane, um café forte não é um café com mais cafeína*, e sim mais torrado!

*Falaremos de grãos e cafeína em um próximo post

Nota de  QG  >= 4,5 e < 5,9.

Nota pessoal: Hoje já acho um café pesado na boca, extremamente amargo (eu já tomo café sem açúcar há anos, então sinto bastante o sabor queimado). Claro que não ligo em tomar de vez em quando, mas acho um café enjoativo para tomar uma xícara maior (como tenho costume pelas manhãs).

Café Superior – São cafés um pouco melhores que os tradicionais por conterem uma quantidade menor de imperfeições e sujidades, e ainda permitem um blend de grãos arábica* e robusta/conilon*.

Nota de  QG  >= 6,0 e 7,2

Nota pessoal: Foi minha primeira tentativa de mudança após descobrir essas informações, e confesso ter notado pouca diferença para o tradicional, porém testei apenas uma marca e um modo de extração!

Café Gourmet – Há um cuidado ainda maior com a qualidade dos grãos e quantidades de defeitos permitidos (limite de 13 a cada 300g de café). Pode-se assim controlar melhor a torra dos grãos ampliando suas notas e percepção de sabores. Somente grãos 100% Arábica.

Nota de QG>= 7,3 até 10

Nota pessoal: Gostei bastante para fazer pelas manhãs na minha casa, é um café mai aromático e leve na boca.

Agora, será que a qualidade acaba por aí? Não! É reconhecido mundialmente uma categoria ainda melhor do que a gourmet creditada pela BSCA – Brazil Specialty Coffee Association, a de Cafés Especiais! Esses cafés seguem em uma linha de origem 100% controlada, ou seja, sabe-se exatamente a origem do cultivo de cada lote garantindo a segurança de seus trabalhadores (evitando assim o trabalho escravo e o trabalho infantil, possivelmente ainda existentes no trabalho agrícola).

Além disso os Cafés Especiais são ISENTOS DE DEFEITOS, ou seja, nada de sujeirinhas no seu precioso pó, somente grãos altamente selecionados na sua torra de preferência! Bom, né?

Nota pessoal: Esse é realmente um café diferenciado, mesmo quando esfria seu sabor continua agradável, tenho feito aos fins de semana ou, como disse, para servir à amigos e pessoas queridas!


Por isso, na sua próxima ida ao supermercado, procure ler o rótulo do café que você sempre compra e descubra em qual categoria ele se encontra. Além disso, aproveite todo esse conhecimento inicial e teste diferentes categorias de cafés na sua casa, ou ao frequentar suas cafeterias preferidas, pergunte mais sobre a bebida servida e sinta as diferenças.

Eu mesma descobri todo esse universo há pouco tempo e já comecei a mudar meu hábitos aqui em casa, melhorei a qualidade do cafezinho do meu dia a dia e procuro servir um grão especial para minhas visitas, tentando sempre dividir todo esse conhecimento ainda pouco divulgado.

Gostaram? Nos próximos posts contarei um pouco sobre os tipos de grãos e sua relação com sabor e níveis de cafeína. Também falarei sobre os diferentes tipos de extração (a parte mais divertida) e como podemos deixar esse ritual ainda mais charmoso em nossas casas!

5 Petiscos Fáceis

Fim de semana quase chegando, que tal 5 ideias de petiscos bem fáceis para fazer em casa, que não precisam nem de cocção? Melhor impossível, né?

1)Peras com presunto cru e gorgonzola

Fatie uma pera em 8 pedaços iguais os da foto. Depois coloque por cima um pedaço do queijo gorgonzola e enrole uma fatia fina de presunto cru unindo as duas partes, finalize com um palitinho e sirva! Caso a fruta não esteja super doce, você pode colocar um fio de mel por cima, fica uma delícia!

2) Pepino com salmão defumado e dill

Corte um pepino japonês em rodelas de um dedo de largura, coloque uma pequena fatia de salmão defumado por cima e complemente com cream cheese levemente batido com limão. Finalize com uma folhinha de dill e pimenta do reino preta moída na hora!

3) Cubos de melancia com feta e hortelã

Corte a melancia em cubos pequenos (um tamanho que caiba na boca, mais ou menos 2cmx2cm), empilhe um cubo de feta mais ou menos cortado no mesmo tamanho, espete um palito com uma folha de hortelã por cima. Finalize com uma misura de azeite e za’atar (Za’atar, também zátar ou zaatar, é uma mistura de especiarias usada como condimento e originária do Oriente Médio, marcante na culinária levantina-árabe).

4) Caprese com pesto de salsinha e salame italiano

Espete em um palito o tomate cereja, mozzarella bolinha (pode ser de búfala ou fresca) e uma fatia de salame italiano, tempere com um pesto leve de salsinha (coloque no processador 1 maço de salsinha, 2 dentes de alho, sal, 1/4 xícara de azeite e 1 col. sopa de sumo de limão). Pode trocar a salsinha pelo clássico manjericão também!

5) Tartare de salmão com avocado.

Receita antiga e deliciosa que fiz aqui pro blog, clique aqui para ver. Para facilitar ainda mais, sirva esse tartare com cubos de avocado fresco, gostoso demais!!


E aí, gostaram? Coloquem em prática essas receitas de petisco nesse fim de semana e aproveitem!!

Dica de Programa – Jantar na Tiffani (Dinner at Tiffani’s)

Vocês não imaginam minha alegria quando o canal de Tv Food Network veio para o Brasil e entrou na programação da Net, finalmente poderia assistir vários episódios de Chopped, descobrir os segredos do Bobby Flay e morrer de rir com o Comidas Exóticas (Bizarre Foods) com o Andrew Zimmern)!

Por ser um canal somente de comida, posso deixar a tv ligada tranquila enquanto brinco com minha filha, pois sei que entre uma programação e outra não vai rolar nada impróprio para a idade dela, e foi assim que descobri outros programas bem legais do canal, como esse que darei a dica para vocês hoje!

A Tiffani Thiessen é a famosa atriz que interpretava Valerie Malone na série dos anos 90 Barrados no Baile (Beverly Hills, 90210), eu imagino que qualquer pessoa com 30 anos ou mais se lembra muito bem dela! Acho que com o tempo ela não teve grandes papéis na tv ou cinema, mas mesmo assim esteve sempre presente nas notícias de celebridades americanas até hoje!

Pois bem, ela casou, teve filhos lindos e hoje tem um programa bem legal no Food Network que chama Jantar na Tiffani (Dinner at Tiffani’s), onde ela recebe amigos (a maioria famosos, inclusive da época de Barrados no Baile!!) para um jantar casual em sua casa. Na verdade não sei dizer se é a casa dela mesmo, hehehehe, mas além das receitas diferentes que ela mostra, ainda podemos ver vários detalhes de uma boa festa em casa como uma mesa decorada, drinks e aperitivos para os convidados, dicas de entretenimento, e por aí vai…

Acho uma verdadeira referência para nós anfitriãs, dá vontade de receber amigos todos os fins de semana para um jantar lindo e descontraído como os dela. Cada programa tem um tema diferente, mas acho tudo bem fácil de copiar e se inspirar! Vejam só…

E pesquisando um pouco para esse post descobri que ela tem um site bem lindo com ainda mais receitas e dicas de decoração, mesa posta, festas, ou seja, tudo que a gente mais ama!! Veja abaixo algumas das festas que ela fez e clique aqui para ver seu site!

Já virei super fã da Tiffani, bateu até uma vontade de chamar os amigos para um jantar em casa! Quem mais?

10 Mesas de Doces de Outono/Inverno

Aproveitando essa época do ano de friozinho delícia, dá para trazer esse clima gostoso e cores mais fechadas e sóbrias para as festas que fazemos! Elementos que aquecem como a madeira, veludo e velas – e cores da época como o vinho, bordô, laranja, mostarda, roxo…

Hoje trago 10 referências para inspirar sua festa em clima outonal e invernal, qual a sua preferida?

10 Mesas Postas de Outono com Abóboras

Adoro esses dias de outono com o vento geladinho e céu limpo, é difícil de achar roupa que aguente o calor/frio/calor do dia a dia, mas ainda assim acho uma delícia! Árvores com galhos secos, folhas alaranjadas, quase sinto o perfume de canela no ar…

Nesse mesmo clima as abóboras também ganham destaque no outono. Além de sua cor naturalmente outonal, entre laranja e esverdeado, seu sabor combina demais com as temperaturas mais baixas. Assada, caramelizada, purês e sopas… doce ou salgada, dá vontade de comer quase todos os dias, né? Então vamos trazer essa paixão para a decoração das mesas de outono/inverno?

Trouxe hoje 10 referências bem lindas usando abóboras na decoração, seja aquelas enormes no centro de mesa, ou até as pequenininhas (que são uma gracinha), naturais ou pintadas. É Inspiração pura, depois me conte sua favorita…

Festival de Sopas em Casa

 

Post atualizado de 18.06.2012


Com o inverno chegando buscamos novas opções de comidas para servir no próximo encontro com os amigos e é nessa hora que o fondue chega facilitando todas as festas, não é? Aposto que mais da metade de vocês já fizeram uma noite de fondue com a família e os amigos, e é uma delícia mesmo, fácil de preparar e fácil de comer, sucesso garantido!

 

 

Já mostrei opções de pratos (clique aqui para ver) e arrumações de mesas (clique aqui para ver) para esse outono e inverno e hoje minha dica é sair da mesmice do queijo fundido e valorizar as sopas nas festas em casa!

 

Se você acha que é comida para quem está doente então se engana, os caldos e cremes podem trazer uma infinidade de sabores à sua próxima festa. Invista em receitas diferentes e apresentações caprichadas, você pode alugar sopeiras elegantes, bowls e pratos fundos modernos, talheres de prata, copinhos e xícaras diferentes… Uma boa comida começa pela apresentação charmosa que fazemos!

 

Que tal um caldo asiático de frutos do mar com bastante pimenta servido em uma porcelana oriental, bem delicada? Como o sabor pode ser forte, sirva uma pequena porção, apenas para degustação…

 

Depois passe para um creme de cogumelos bem rico, servido em uma porcelana delicada, cheia de detalhes.

 

Aguce o paladar de seus convidados com uma sopa encorpada, como um ragu bem rústico servido em um bowl de madeira.

 

Ou então um creme de queijos servido dentro do pão italiano, não tem quem não goste!

 

A vantagem de fazer um festival de sopas em casa é poder deixar tudo pronto até um dia antes e apenas aquecer na hora de servir. Você pode investir em uma mesa posta, trocando os pratos e a sopeira conforme o sabor, ou servir em pequenas porções como degustação. O legal é dar uma personalidade diferente a cada sabor servido, como mostrei acima!

 

Para finalizar os detalhes, sirva de acompanhamento vários tipo de pães e torradas. Eu pelo menos adoro comer uma sopinha com uma fatia de pão italiano, ou acrescentar torradas de alho na sopa de legumes, então pensar também nos acompanhamentos é super importante!

 

Para fechar com chave de ouro, sirva de sobremesa sopas doces, com frutas! Um creme de frutas vermelhas com sorvete no meio, ou creme de manga com bolinhas de melão, por exemplo… deixe sua imaginação fluir!

 

É divertido mudar, não tenham medo de sair do comum, é só tentar!!

 

 

Só Petiscos

Você já se viu organizando uma reunião de amigos, aniversário ou festa em família para muitos convidados sem saber o que servir para tantas pessoas? Muitas vezes organizar um almoço ou jantar com serviço completo, ou seja, entradas, pratos principais e sobremesas pode ser bem cansativo. Ou tem vezes que a ocasião pede algo mais casual, e organizar alguns petiscos é a melhor pedida!

Mas o que aparentemente é fácil pode dar ainda mais trabalho, porque haja criatividade para tanto queijo e torrada, não é? Por isso vim mostrar versões de queijos e entradinhas “tamanho família”, para nenhum convidado passar fome!

Quais queijos servir?

Queijos macios e suaves como camembert, brie, mozzarella fresca.

Queijos fortes como gorgonzola, provolone e roquefort.

Queijos curados como parmesão, serra da canastra e pecorino.

Queijos semiduros como Gouda, gruyére, edam, estepe, emmenthal e reino.

Queijos de outros leites como feta, ovelha e búfala.

Com o que acompanhar?

Salgados

  • Torradas
  • Pães
  • Grissini
  • Azeitonas
  • Azeites temperados
  • Legumes assados (cenouras, aspargos, vagens)
  • Cebolas caramelizadas
  • Compota de legumes, como a caponata
  • Patê de ervas
  • Corte de frios e embutidos
  • Castanhas

Adocicados

  • Frutas secas
  • Uvas frescas
  • Geléias
  • Figos frescos ou assados
  • Morangos e outras berries.

Outra alternativas:

  • Tortas e quiches
  • Mini Fundue
  • Massa folhada assada com queijos
  • Focaccia
  • Pães recheados/temperados

Você pode dispor várias tábuas na mesa de jantar, e os convidados vão se servindo livremente à sua volta. Deixe pratos, guardanapos e talheres disponíveis, para quem prefere se servir de maior quantidade e levar para outro ambiente, estilo buffet. Dá para montar várias estações também espalhadas pela casa, usando além da mesa de jantar as mesas de centro e canto como apoio.

Encontrei essa montagem no Pinterest que mostra bem como montar uma tábua de frios bem bonita, olha só!

Mas se você fica insegura na hora de fazer essa mistura de queijos, frios, torradas, frutas e demais itens, dá para deixar o display mais simples e igualmente charmoso, olha só!

Dá sim para organizar um mesão de petiscos com muita elegância e charme, e com essas referências ficou ainda mais fácil, não é? E se você curtiu essa ideia, olha só que linda essa mesa de frutos o mar! Nossa, para quem mora no litoral é uma alternativa bem diferente para servir numa festa diurna, amei!

Quartos de Bebê em Tons Pastel

Desde que engravidei sabia que queria muito montar o quarto da minha filha sozinha! Tipo aquelas cenas de filme onde o casal pinta a parede, move os móveis pelo quarto tentado encontrar a melhor maneira de deixar tudo organizado, sabe? E foi assim mesmo que aconteceu, foi uma delícia pesquisar temas, referências, errar e acertar até ficar feliz com o resultado final!

Mas perfeccionista que sou esse processo me tirou bastante o sono! Confesso que nunca ficava satisfeita e sempre achava que algo podia melhorar… Hora achava que as cores estavam erradas, e por vezes até mudei tudo de lugar! Hoje vim mostrar um cantinho do quarto e dividir algumas das muitas imagens que usei de inspiração nesse processo.

 

Esse é um cantinho do quarto da Clarinha, vira e mexe mudo uma coisinha, mas a carinha é a mesma desde que ela nasceu!!

A post shared by Carolina Santos (@suacasasuafesta) on

A ideia inicial era usar as cores rosa claro e aqqua, que é tipo um verde água/menta, tudo em tons pastel com um fundo neutro bege clarinho e detalhes em dourado. Mas como não foi tão fácil assim encontrar objetos somente nessas cores, fui incorporando outras cores na mesma tonalidade, como o amarelo, azul, etc.

Sinto que o quartinho é uma eterna construção, vive mudando conforme a fase de desenvolvimento na Maria Clara… Logo logo me despeço do berço (que ela raramente usou!) e seguirei para a caminha na altura do chão. Até lá, fiquem com as inspirações que usei lá na gravidez, todas tiradas e devidamente guardadas no Pinterest!

Vocês gostam dos posts sobre o universo infantil e maternidade? Será que devo dividir mais sobre esse meu novo mundo por aqui?