Todos os Detalhes do Meu Casamento na Itália

Captura de Tela 2014-06-02 às 22.53.08

ATENÇÃO, ESSE POST É GIGANTESCO!!! 

Agora em maio fiz meu primeiro aniversário de casamento, e desde que publiquei o primeiro post sobre ele (que acabou sem continuação porque desconfiei que alguns convidados poderiam se sentir desconfortáveis com a exposição na internet…) recebi muitos, mas muitos e-mails mesmo, cheios de dúvidas em relação a tudo: como organizei, se senti diferença entre os dois estilos de festa, quais dificuldades enfrentei e principalmente – valores!

Eu acredito que hoje em dia é mais do que possível realizar um destination wedding, basta muito planejamento e paciência. Resolvi fazer esse post tentando esclarecer todas as dúvidas que já recebi, e espero que ajude muitos de vocês que também gostariam de ter a Itália como local para celebrar sua união.

1)   A Escolha do Local

Antes de mais nada já expliquei no post do casamento porque escolhemos realizar nosso casamento fora do Brasil, agora vocês vão descobrir como encontrei o Badia di Campoleone.

Assim que nos decidimos pela Toscana, comecei minha busca pelos hotéis da região, e quem me auxiliou muito nesse processo foi o site de hotéis Splendia. Lá você só vai encontrar hotéis de luxo e boutique, locais charmosos e exclusivos em vários lugares do mundo. De lá tirei umas 20 opções, mandei e-mail para todas, recebi resposta de apenas algumas, e após muita conversa ficamos entre duas opções – Badia di Campoleone e Il Falconieri. No final o preço falou mais alto e o planejamento começou com a primeira opção.

2)   O Planejamento

Fomos visitar o hotel (etapa importantíssima!) 8 meses antes da data planejada para o casamento, o plano era otimizar ao máximo nosso tempo no local conhecendo todo o hotel e a organizadora responsável, fazendo degustações e arranjando todas as reuniões com fornecedores possíveis. Acho que essa foi a primeira grande diferença que senti entre um casamento tradicional e um destination wedding, a maioria das decisões (como decoração, fotografo, menu, cerimônia) foram tomadas juntas, e com bastante antecedência.

Depois que voltamos de viagem foi a hora de fechar a lista de convidados, algo mais difícil do que o comum (segunda grande diferença). Além de chamarmos apenas pessoas bem próximas, tínhamos que confirmar se todos tinham a disponibilidade de viajar aos menos pelos 4 dias do casamento. A confirmação antecipada foi importantíssima para comprarmos as passagens aéreas com o máximo de antecedência possível, garantindo preços dentro do budget.

Além disso foi hora de decidir como seriam feitos os convites, organizar os 4 dias de viagem, fazer o vestido de noiva, e cuidar de todos os detalhes que uma viagem em grupo necessita (transporte para todos, tipos e divisão de quartos no hotel, atividades e turismo, jantar de boas vindas, etc.).

3)   Adversidades

A primeira dificuldade que qualquer um vai encontrar ao organizar um casamento à distância é a comunicação. Você deve confiar na pessoa responsável no local e estar em constante contato com ela. É preciso lembrar que no nosso caso tudo foi feito em inglês, então é importante que você e o local falem a mesa língua, literalmente.

O maior problema que tive foi que a organizadora que conheci na primeira viagem, a mesma que cuidou de tudo desde julho (quando os primeiros e-mails começaram), resolveu sair do hotel em fevereiro. Não só não me avisou sobre sua decisão, como não deixou nada pronto para quem fosse tomar o seu lugar, ou seja, do dia para noite tudo que foi combinado e tão cuidadosamente planejado havia ido embora junto com ela. Assim que me avisaram sobre sua saída fiquei preocupadíssima, mas quando vi que quem havia tomado seu lugar temporariamente não sabia de absolutamente nada sobre o casamento (nem a data), entrei em pânico.

Já era março e era como se tivesse que recomeçar todo o processo do zero, tudo à distância e sem poder fazer nada sobre isso. O hotel colocou uma nova organizadora para tomar conta da situação,  e imagino que para ela foi tão difícil quanto, e após muitos e-mails e telefonemas conseguimos engatilhar novamente.

Alguns detalhes que foram decididos pessoalmente nas reuniões em setembro tiveram que ser reajustados na hora (sim, dias antes do casamento!!!) e outros não deram nem tempo de serem decididos (como o bolo), mas no fim deu tudo certo.

 Captura de Tela 2014-06-02 às 22.47.56

4)   Casamento no Brasil X Casamento na Itália

  • Sabe aqueles detalhes mega personalizados que temos aqui? Rasteirinhas, monograma, docinhos gourmet, bem casados, kit ressaca e muitos outros? Bom, lá eles além de não fazerem ideia do que são, você não vai conseguir fornecedores para isso, então esqueça. Em compensação seu casamento estará abastecido com os melhores vinhos e a melhor comida, e isso realmente não tem preço!
  • A Itália preza pela simplicidade dos detalhes, seja na comida ou decoração o simples é elegante e combina com as construções antigas das diversas regiões do país. Outro ponto é que eles só trabalham com produtos sazonais, tanto nas flores como nas frutas e legumes, então fique esperta para suas escolhas combinarem com a época do matrimônio (dei tanta sorte, maio é mês das peônias, uma das minhas flores favoritas!).
  • O conceito deles de cabelo e maquiagem, pela minha experiência, é muito diferente da nossa. Fiz um teste com os dois profissionais assim que cheguei, mas acabei optando por fazer minha própria maquiagem, assim como escolhi um penteado bem simples, para não ter erro. Se você não se sente confortável em se virar sozinha, busque profissionais renomados na região (que quanto mais afastada, mais difícil será). Uma boa dica é treinar os dois em casa várias vezes, assim você estará segura no dia caso precise dar o seu toque pessoal.
  • Uma história engraçada é que quando mostrei para eles um pouco sobre os casamentos tradicionais no Brasil (todos à partir das 20h, em igrejas opulentas e festas em salões clássicos super decorados, mesas de doces gigantescas e número de convidados de no mínimo 300 pessoas) eles ficaram chocados, disseram que mais parecia uma celebração das famílias reais. Isso já mostra que se é isso que busca, dificilmente vai conseguir algo parecido na Europa, a não ser que pertença à realeza, kkkkk
  • Ah, importante, por mais animados que os italianos sejam, eles se surpreenderam com o pique dos brasileiros! Ficávamos acordados até tarde petiscando e bebendo vinho pelo hotel, e ainda tínhamos pique para acordar cedo e conhecer as cidades vizinhas, lembre de avisar o hotel caso gostem de ficar acordados até tarde e avise uma quantidade de bebida estimada, para que eles se preparem.

5)   A Viagem

Muitos me perguntaram se pagamos a viagem dos convidados e se isso é necessário, a verdade é que vai de cada um. Nós conseguimos bancar a passagem da maioria (comprar com antecedência e em grande quantidade ajuda no valor final) e hospedagem de todos (que ficaram no mesmo hotel da cerimônia), veja o perfil dos seus convidados e se esses gastos cabem no seu budget!

Todos chegaram dia 14, nossa responsabilidade começou com o traslado aeroporto – hotel. Eles já foram sabendo que haveria uma confraternização na hora do jantar, no próprio hotel, assim conseguiram se acomodar, descansar e todos nos veríamos pela noite.

As 20h começou um “churrasco toscano”, um jantar descontraído que organizamos na vinícola do hotel com um buffet de comidinhas e vinho a vontade. Nossa alegria nesse primeiro encontro foi tanta que os funcionários foram embora enquanto continuávamos comemorando, acontece! Kkkk

Depois visitamos mais duas cidades, uma dia 15 e outra 16. Os convidados ficaram à vontade para passear, almoçar, fazer compras, etc. Fomos e voltamos todos de ônibus previamente contratado. Esses dias que todos passaram juntos foi essencial para criar o clima do casamento, apesar dos convidados serem muito próximos à nós alguns deles não se conheciam, então essa oportunidade deixou o grupo mais unido e à vontade – se puder garantir uns dias antes do casamento com todos os convidados juntos, faça!

Captura de Tela 2014-06-02 às 22.53.30

6)   O Dia D

Deixei o dia livre para cada um aproveita-lo com achasse melhor, mas é claro que o grupo acabou se dividindo entre homens e mulheres. Algumas marcaram massagens no SPA do hotel, outras manicure… Mais ou menos na hora do almoço começamos a nos reunir na sala do meu quarto (minha suíte tinha uma sala anexa) junto com o cabelereiro, que foi fazendo o penteado de cada uma, um a um. Outras ainda marcaram maquiagem profissional no SPA do hotel e assim fomos todas ficando prontas para a cerimônia, que aconteceria as 17h.

 

Falando em cerimônia tive um problema que exigiu uma mudança de última hora. Desde o início estávamos planejando fazer o casamento ao ar livre, em um espaço aberto, mas assim que chegamos vimos que o tempo estava nublado, com garoa e chuva ao longo do dia sem previsão me melhora, esperamos até o dia anterior para tomar a decisão de mudar a cerimônia para dentro do hotel, e foi acertada. Todo o dia 17 foi de chuva fina e frio, como vocês podem ver pelas fotos, mas no fim foi especial do mesmo jeito, já que o hotel é lindo por dentro e por fora.

Captura de Tela 2014-06-02 às 22.53.50

Depois da cerimônia rolou um coquetel delicioso no bar do hotel enquanto fazíamos as fotos externas, e depois fomos para a sala de jantar onde uma longa mesa única especialmente decorada nos esperava. O jantar foi composto por uma entrada (ovo pochê empanado com creme de trufas), primeiro prato (pici ao molho de tomates), dois segundo pratos (polvo e filet mignon) e sobremesa (gelato de pistache). Logo após fui surpreendida com um ritual do bolo, onde ele “desfilou” envolta da mesa ao som de muita música e faísca. Apesar de não ter gostado da decoração do bolo, ele estava simplesmente delicioso. Massa leve e recheio delicado de baunilha, perfeito após tanta comilança!

Captura de Tela 2014-06-02 às 22.54.39

Captura de Tela 2014-06-02 às 22.54.50

Captura de Tela 2014-06-02 às 22.54.19  Seguimos para o salão onde a banda nos esperava. O local estava decorado com simplicidade, com o teto coberto de velas, como um sonho. A banda clássica tocou músicas gostosas para dançar a dois, mas senti falta de algo mais animado. Apesar de pedirmos incansavelmente músicas animadas para dançar (o que foi outra terceira grande diferença que senti), acabamos improvisando com um ipod nosso próprio entusiasmo. Não sei se esse pós jantar com muita música não faz parte da cultura deles ou se a banda não entendeu o que queríamos, mas aconselho vocês a mandarem sugestões de música e vídeo de exemplo do que gostaria que tocassem.

Captura de Tela 2014-06-02 às 22.57.24

7)   Cerimônia

Se você busca uma cerimônia católica, a Itália é o lugar para isso (como podem imaginar). Qualquer hotel que faz casamentos tem contatos e igrejas, assim como padres, para realizar o matrimônio que deseja. A minha foi ministrada pelos pais, com a colaboração de depoimentos e votos de cada convidado, foi muito emotiva e pessoal.

Captura de Tela 2014-06-02 às 22.49.22

8)   Valores

Sei que esse é o tópico que mais queriam que divulgasse, mas infelizmente esses detalhes não vão entrar nesse post e em nenhum e-mail. Seria indelicado com meus convidados e acho que não é uma informação que simplesmente divulgamos em qualquer lugar, espero que entendam.

O que posso dizer é que qualquer serviço é mais barato lá do que aqui e muitos em qualidade muito superior, como o jantar (servido pelo restaurante do hotel) e o fotógrafo. Na hora de comparar vale mais pensar o que gostaria – um casamento para 250 pessoas aqui, em um espaço razoável com tudo que se tem direito (decoração, lembrancinha, mesa de doces, buffet) ou um mini destination wedding, por custos similares.

Tudo vai depender do local que escolher, número de convidados, passagem aérea, diária do hotel, extras da viagem, menu, flores escolhidas, etc. Tanto aqui, quanto lá! Mande e-mails, pesquise e peça logo de cara orçamentos ou ao menos estimativas para começar a entender os custos. Não esqueça de fazer uma planilha detalhada de tudo para saber o total da festa e planeje cada detalhe, e lembre-se que quando falamos em países turísticos, tudo na alta temporada é mais caro, assim como a média e baixa podem ser boas alternativas para diminuir os preços e garantir uma festa dos sonhos!

Captura de Tela 2014-06-02 às 22.48.19

Bom, espero que todas essas informações tenham ajudado na hora de comparar os dois modelos de casamento, assim como entender um pouco mais como o planejamento de uma cerimônia fora do país acontece. Dá trabalho, mas qual casamento não dá?

Comente este Post




Comentários

  1. babi chernichenco

    Parabéns pelo post.
    Maravilhoso, fiquei encantada com seu casamento.
    Meu sonho casar na Europa, com poucas pessoas, amei. Muitas felicidades.
    Beijos

    Responder este comentário
    • Carolina Roberta Santos

      Oi Babi,
      Obrigada!!! Foi realmente muito especial :) vale a pena você pesquisar mais sobre o assunto, e quem sabe ter um casamento assim também!
      Bjs
      Carol

      Responder este comentário
  2. Dariella Novello

    Oi, Carolina. Desde pequena meu sonho é casar na Toscana. Sou filha de italiano, morei lá inclusive, sou completamente apaixonada pela Itália, mas minha filha não está me apoiando nesta questão de realizar o casamento por lá. Pode me informar mais ou menos quanto você gastou? Porque estou vendo valores por aqui e está surreal. Prefiro mil vezes fazer um casamento menor, mais intimista, com pessoas que são importantes de verdade para o casal, do que essas festas absurdas que fazemos aqui no Brasil, cheias de ostentação e gente que não vemos há décadas.

    Responder este comentário