Cafés, Como Escolher? Part. 2

Ontem fiz a primeira parte dos posts especiais de café, vocês acompanharam? Falei sobre as diferentes categorias de cafés, todo cafezinho que tomamos pertencem a uma… Perdeu? Então clique aqui!

Hoje vou falar sobre os grãos. Por que um café 100% Arábica custa mais caro? E os mais baratos, quais grãos são usados? E a torra, faz diferença? Você sabe qual o grão e qual a torra do seu cafezinho do dia a dia? E o da sua cafeteria preferida?

Quantas perguntas, mas as respostas são mais simples (e mais interessantes) do que imaginamos!

Existem dois grãos mais comuns no mercado, o Arábica e o Robusta. O primeiro é o café de melhor qualidade, com sabores muito mais complexos, cítricos, de cultivo mas delicado e com menor teor de cafeína, ou seja, pode tomar mais que tá liberado! Hehehehe

O segundo é um grão muito mais simples e de sabor amargo proeminente, é usado para ser misturado aos grãos de Arábica barateando o produto final. Seu cultivo é muito mais fácil exatamente por ter mais cafeína (a cafeína é um pesticida natural, sabiam?).

A diferença entre um grão Arábica (à esquerda) e um Robusta (à direita) é visível, né?

Não existe no mercado nenhum café 100% Robusta, acredito que seria praticamente intomável pelo seu corpo e amargor, porém algumas marcas usam seu grão no blend (mistura) justamente para acrescentar essas características no produto final, já que nós brasileiros gostamos de cafés de sabor forte.

A imagem acima mostra outra diferença… O Arábica é cultivado apenas em altas altitudes (acima de 600m) e temperaturas mais baixas, e o Robusta segue no contrário, cultivado em baixa altitude (até 700m) e suporta temperaturas mais altas! E o que isso significa? É mais fácil de maneira geral produzir grãos Robusta do que Arábica, tornando-o um produto mais barato!

Os cafés Tradicionais e Superiores usam 20% e 15% de Robusta em seu blend respectivamente, por isso somente são vendidas torras escuras nos cafés desse padrão (além de mascarar grãos Arábica imperfeitos, passados e outras sujidades como disse no post anterior). Cafés de categoria Gourmet e Especial usam apenas grãos 100%Arábica em sua composição.

Falando em torra, estamos tão acostumados com as torras escuras comumente encontradas nos mercados, mas sabemos nossa real preferência antes de provar outros tipos? Para quem só tomou cafés de torra escura até hoje está familiarizado com seu sabor mais “forte”, então provar torras média e clara pode ser um desafio, pois tendem a parecer “café fraco”, sabe? Mas não é nada disso!

Querendo ou não, a torra escura mascara muitos dos sabores de um bom grão de café, então percebemos menos as nuances frutadas e cítricas (por exemplo) cobertas no sabor amargo da torra elevada. Se você está buscando cortar o açúcar do cafezinho do dia a dia, mas acha o amargor difícil de engolir, experimente comprar uma torra média ou clara de um café de boa qualidade, você vai se surpreender!

Ainda estou aprendendo a me acostumar com a torra clara, mas recomendo muito essa experiência de experimentar e conhecer novos sabores de café, é um universo muito interessante para quem gosta do mundo gastronômico, muito parecido com os vinhos!

Café é quase um patrimônio nacional, faz parte na nossa história e vidas, então aventure-se nesse delicioso mundo da cafeína! Tem um mundo além do café tradicional que nós estamos acostumados a tomar e vale muito a pena conhecer mais sobre o assunto!

Amanhã conto um pouco mais sobre minha parte favorita, os diferentes modos de extração, aguardem!!

Comente este Post




Comentários

    • Carolina Roberta Santos

      Eba, que bom que gostou Adriana!!
      Sim, sei que o Suplicy dá alguns cursos muito interessantes sobre café, vou ver como funciona para te passar!
      Já, já tem post novo sobre cafés, não vai perder :) hehehehe

      Responder este comentário